Ritmos de Cor - Jazz

Eduardo Nery 

  • Esgotado
  • Serigrafia
  • Papel Fabriano Tiep GF 290gr
  • Mancha: 43,5x65 cm
  • Suporte: 56x75 cm
  • Data: 2009
  • 100 exemplares
  • Ref.: S0876

A SÍNTESE DA OP-ART Eduardo Nery que nasceu em 1938 na Figueira da Foz e expõe colectivamente desde 1957 e individualmente desde 1964, diplomou-se em pintura na Escola Superior de Belas Artes de Lisboa. Reconhecido e premiado pela crítica desde 1969, ano em que foi um dos quatro artistas premiados na mostra do Banco Português do Atlântico e recebeu uma menção honrosa no Prémio Soquil, a exposição retrospectiva em 2003 no Museu do Azulejo em Lisboa, revelou as várias facetas do seu percurso desde 1961, na tapeçaria, no azulejo, no mosaico e no vitral. Tendo iniciado a sua expressão plástica pelo desenho gestual, o artista cedo evoluíu para uma estética influenciada pela op-art na órbita da qual iria impôr-se até à actualidade, divulgando o seu trabalho em importantes realizações de arte pública, como os revestimentos em azulejo para a Estação do Campo Grande no Metropolitano de Lisboa em 1992 (Prémio Municipal Jorge Colaço de Azulejaria, da Câmara Municipal de Lisboa) ou no painel monumental para o Aeroporto de Macau em 1995. Dominando diversas tecnologias, o artista tem vindo a alicerçar a sua criação no estudo dos fenómenos ópticos, como os que a presente imagem documenta, motivada pelo universo da música jazz.