Sobre o CPS

 

O CPS - Centro Português de Serigrafia é uma entidade de cariz cultural iniciada em 1985 por António Prates. No âmbito das suas atribuições, tem como missão facilitar o acesso a obras de arte de grande valor, editando, promovendo e divulgando a Obra Gráfica Original de artistas contemporâneos, portugueses e estrangeiros.

 

Pautado por critérios de qualidade, rigor e autenticidade, o CPS realiza edições limitadas de Serigrafia, Gravura, Litografia, Fotografia e Arte digital em ateliers próprios, dirigidas em especial aos seus Sócios que têm vantagens exclusivas e acesso privilegiado a um vasto leque de obras de arte, segundo um modelo de Sócio único e inédito.

 

Dos grandes mestres portugueses do século XX, aos jovens artistas emergentes, passando no plano internacional, por movimentos emblemáticos como o Surrealismo, a Pop Art e a Figuração Narrativa, o CPS segue um modelo editorial eclético e formativo e dispõe de uma coleção ímpar de mais de 3.000 obras de cerca de 600 artistas de todo o mundo, sendo hoje reconhecido internacionalmente como um dos mais conceituados editores de obras de arte.

 

As participações sucessivas do CPS no certame “Estampa” em Madrid, desde 1993 - que teve o seu auge na edição de 2005 onde foi distinguido como a melhor galeria presente no evento - muito contribuíram para uma abertura ao contexto internacional, possibilitando novos diálogos, a edição de mais de 100 artistas de 26 nacionalidades e a apresentação da obra gráfica de artistas fundamentais como Picasso, Dalí, Miró, Tàpies, Joseph Beuys, Le Corbusier ou Mimmo Rotella.

 

Representando hoje um selo de garantia de qualidade e autenticidade, fruto da sua experiência, o CPS orgulha-se de já ter contribuído para o enriquecimento das coleções de mais de 14.000 sócios. As obras de arte que escolhem fazem de cada casa um museu pessoal, verdadeiro e notável reflexo da cultura dos nossos dias.

 

Foto de André Silva - Impressão de uma gravura de Susana Gaudêncio no Atelier CPS